EMPATIA: uma competência necessária

A Inteligência Emocional salienta a empatia como uma competência a ter em consideração. Empatia significa ter a capacidade de nos colocar no lugar do outro e de ver através do seu prisma.

O conceito de empatia é também abordado por Carl Rogers na corrente humanística. Rogers (2010) é conhecido na comunidade científica por defender ao nível da psicoterapia, uma terapia centrada na pessoa. Este, usa a empatia como forma de capacitar os indivíduos com recursos para crescer, mudar e desenvolver as suas competências.

Mais tarde, Goleman (2019) no seu livro refere a empatia como sendo uma competência fundamental para a desenvolver a inteligência emocional. Esta trata-se de uma aptidão pessoal, que tem origem na autoconsciência, e que está diretamente relacionado com o altruísmo. Pessoas que tem esta habilidade mais desenvolvida são mais aptas a percepcionar sinais obtidos pelo meio social, relacionados com o que os outros necessitam e/ou desejam. Esta competência favorece particularmente profissões que envolvem o contacto humano, como a prestação de cuidados, educação, gestão, entre outros.

Em suma, ao semear esta competência na nossa vida, para além de favorecermos os diversos relacionamentos, estamos também a beneficiar um mundo mais justo e compreensivo. Por vezes, somos meros espectadores e quando o fazemos com empatia tudo se torna mais fácil. Em vez de julgar, começamos a aceitar.

Referências:
Goleman, D. (2019). Inteligência Emocional (18ª Edição). Maia: Temas e Debates.
Rogers, C. (2010). Tornar-se pessoa. (2ªEdição). Lisboa: Padrões Culturais.

Partilhe

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mafalda Moreira
Cart Item Removed. Undo
  • No products in the cart.