Psicologia humanista: Abram Maslow

Considerado o “pai espiritual” da psicologia humanista, foi quem impulsionou esta corrente, dando um estatuto e grau de respeitabilidade a nível académico. Os seus estudos foram baseados em pessoas notáveis e psicologicamente saudáveis, isto é, pessoas com as suas necessidades autorrealizadas, alcançando assim o último nível da hierarquia da pirâmide. Este comparou ainda como se destacavam estas “pessoas notáveis” quando comparadas com pessoas que apresentavam saúde mental mediana ou normal (Schultz & Schultz, 2015).

Este autor acreditava que a personalidade humana quando melhorada, poderia ter um impacto positivo nos comportamentos dos vários indivíduos, dando menos destaque a aspetos como ódio, preconceito e guerra (Schultz & Schultz, 2015).

De acordo com a sua visão, cada sujeito é munido de capacidades inatas para alcançar a autorrealização. Para que o indivíduo alcance este plano, é necessário que todas as necessidades na pirâmide estejam satisfeitas. Não é possível portanto, avançar na pirâmide sem que alguma das necessidades esteja insatisfeita. A sua prioridade está relacionada em primeiro lugar às necessidades fisiológicas, posteriormente às necessidades de segurança, de pertinência e amor, de estima e por último de autorrealização (Schultz & Schultz, 2015).

A autorrealização é esclarecida pelo autor como o “desenvolvimento pleno das habilidades de um indivíduo e realização de seu potencial” (Schultz & Schultz, 2015).

Referências:
Schultz, D. & Schultz, S. (2015). História da Psicologia Moderna (10ªedição). Brasil: Cengage Learning.

Partilhe

Comment

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mafalda Moreira