Urgências de uma vida

Quando o teu coração acelera, o meu também. As tuas lágrimas percorrem o teu rosto e a tua angustia é visível em todo o teu corpo. O desespero de ver ir embora todos os teus sonhos apodera-se de ti. Por momentos esqueces-te de como respirar.

Ficas nesse poço sem fim, submerso pelo teu passado, por inseguranças e acontecimentos que já não te definem, mas que acreditas ser esse o teu fim.

Quando o teu coração fica destroçado, o meu também o sente.

Apesar de acreditares no teu fundo que és muito mais do que isto, este duelo esgota-te de tantas formas que acabas por não conseguir distinguir aquilo que te faz bem, daquilo que te destrói.

Mas sabes uma coisa? Eu amo-te por inteiro. Acompanho-te lado a lado até à porta que tu acreditas que mudará o teu mundo. No tudo ou nada, este é o teu momento. Abraço-te, sussurro ao teu ouvido e transmito-te nesta troca a minha crença do quanto acredito verdadeiramente em ti.

Sei que neste breves segundos sentes-te em casa, contudo a porta continua ali e tu tens de entrar. E tens de o fazer sozinho. Apesar de eu estar sempre ali nos bastidores.

No meio daquela lista infindável, o teu nome é chamado, ficas novamente com aquele nó no estômago, mas mesmo assim vais. Dás o primeiro passo, o segundo e vejo-te a partir. A partir em direção aos teus maiores “demónios”. E no preciso momento que o fazes, o medo de falhar que apesar de estar presente, fica atordoado. Dás uma machadada nesse ego que te coloca sempre para baixo e que te faz crer que não és capaz.

Mas sabes uma coisa? Eu vejo no meio dessa escuridão, uma vontade súbita de vir à tona. Esse brilho está mesmo pronto a enfrentar não só esta porta, mas todas as subsequentes.

Estás em pânico, queres gritar ao mundo o quão estás farta de fechares portas. Uma, duas, três, uma dúzia e o cronómetro não para.

E quando te vejo naquela sala, desejo que encontres o que precisas e que pelo menos uma parte desse medo fique dissolvido pela força que te move e pela tua própria luz.

A exigência que habita dentro de ti faz-te ser mais rígido e essa ideia de ser perfeito a cada dia que passa corrói a tua essência.

Aceito-te! Tudo aquilo que faço é aceitar-te. E se algum dia tiver de te exigir alguma coisa, então exijo que sejas feliz!

Espero-te à entrada daquela porta e abraço-te pelo que acabaste de fazer.

Não tens de destruir de um dia para o outro todos esses “demónios”. Contudo, cada vez que fazes algo nesse sentido, torna-se mais claro o guerreiro que habita em ti.

Para todas as pessoas que tem inseguranças, ansiedade desproporcional e até ataques de pânico, todas as vezes que contrarias esses sentimentos que te desgastam e aprisionam chegas um bocadinho mais perto daquela luz, da tua liberdade.

Para as restantes pessoas que lidam constantemente com as outras, aceitem-nas, estejam ao lado delas e sejam empáticos, isto fará a diferença na vida delas.

Partilhe

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Mafalda Moreira
Cart Item Removed. Undo
  • No products in the cart.